Mostrar mensagens com a etiqueta BeB do quotidiano. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta BeB do quotidiano. Mostrar todas as mensagens

domingo, 3 de maio de 2020

Feliz Dia da Mãe

Foto Pinterest
Este post é uma singela homenagem a todas as mães (à minha em particular). É uma homenagem às mães que cuidaram dos filhos desde o primeiro dia em que souberam que o traziam consigo. É uma homenagem às mães que aconchegam os lençóis dos filhos à noite, que cuidam dos filhos quando eles estão doentes, que perdem noites de sono por eles, que dizem "não" em prol da felicidade dos filhos, mesmo quando a resposta mais fácil seria dizer "sim", que ficam a transbordar de felicidade quando veem os filhos felizes, que deixam os filhos voar mesmo quando os querem ter "debaixo da sua asa"...

É uma homenagem às mães que amam os filhos incondicionalmente e que fazem o melhor que podem e sabem, mesmo que isso implique errar muitas vezes!

quarta-feira, 22 de abril de 2020

A Telescola engorda!


Hoje, numa das aulas da Telescola, ensinaram os alunos a fazer estes bolinhos.

Guloso como é (sai à mãe), o Gonçalo ficou todo entusiasmado e perguntou logo quando ´que podia fazer a receita. Disse-lhe que podia fazê-la sozinho na hora de almoço e ele delirou! Primeiro, porque ia fazer a receita, segundo, porque lhe disse que a podia fazer sozinho, sem a minha ajuda.

E assim foi!

Já agora, um parêntesis para dizer que, apesar do título provocatório, estou a brincar. Devo dizer que tenho um respeito e admiração enorme - gigante mesmo - pelos professores que estão a dar a cara por este projeto e por todos os profissionais que, em tão pouco tempo, o puseram de pé. Tenho assistido às aulas do Gonçalo e não posso senão tecer elogios!

Voltando à receita, e se ficaram com vontade de experimentar, aqui vai ela:

- 200g de bolacha Maria (bem triturada)
- 200g de chocolate em pó (não tinha suficiente e por isso isso usámos metade de chocolate em pó e metade de cacau em pó - como adoro chocolate preto, ficou ótimo)
- 100g de açúcar
- 50g de manteiga amolecida
- 2 ovos
- missangas coloridas / missangas de chocolate / açúcar branco

Misturam-se os ingredientes secos (a bolacha, o chocolate e o açúcar). De seguida, acrescenta-se a manteiga e os ovos. Mistura-se bem até estar tudo bem ligado. Depois, com as mãos, molda-se a massa em pequenas bolinhas e passam-se pelas missangas coloridas / missangas de chocolate ou açúcar branco. Colocam-se as bolinhas em forminhas de papel e leva-se ao frigorífico por 30 minutos.

As nossas ficaram ótimas!

O Gonçalo está aprovado como chef ;)



sexta-feira, 17 de abril de 2020

Coisas boas da quartenta


Os meus fofinhos a posarem para a foto <3

Apesar do post anterior, a quarentena também tem as suas coisas boas. Como esta! :) Poder fazer uns scones a meio da tarde e poder saboreá-los, acabadinhos de fazer, com os meus fofinhos.

A confeção de uma receita fazia parte de uma atividade escolar e soube tããão bem!

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Prometo sorrir!





Brincar, fazer palhaçadas, rir muito, estar com quem nos faz bem, não estar com quem nos faz mal, conhecer sítios e pessoas novas, fazer mais exercício físico, arriscar mais, agradecer todos os dias pelo muito que tenho, viver mais o presente em vez de estar sempre preocupada com o futuro...

Apesar de não ter feito resoluções para o novo ano, estas são apenas algumas das coisas nas quais estou empenhada em 2020, e que até ver têm feito (toda) a diferença ❤🙏

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Sintra nunca desilude, muito menos no Natal


Como já é tradição nesta época,  há dias fomos ao Reino do Natal, em Sintra, e voltámos a sair de lá encantados.

Sintra tem uma uma magia muito própria, que condiz na perfeição com esta quadra. O palco deste reino encantado volta a ser o Parque da Liberdade, que, por si só, é dono de uma imensa beleza, e que ganha um encanto anda mais especial com os inúmeros apontamentos natalícios espalhados por entre os variados tons de verde que o vestem.

Bonecos de neve, elfos, fadas, a aldeia dos gnomos, a casa do gigante, um cantinho onde se pode escrever a carta ao Pai Natal, a casa do Pai Natal, uma bola de neve onde as crianças podem entrar... é um sem fim de coisas giras para ver e fazer. Não há como as crianças não ficarem encantadas!

Este ano, este evento tem a particularidade de ter sido alargado para a zona em frente ao Paácio da Vila, onde é possível encontrar um ringue de gelo e um carrossel.

Para entrar no Reino do Natal não é preciso pagar. Ou melhor, pede-se a quem o visita que dê o dinheiro que quiser ou então que dê alimentos não perecíveis ou ração de animais. Já para andar na pista de gelo paga-se 3 euros.

A pulseira que dá entrada no Reino do Natal também dá acesso gratuito ao Palácio da Vila. Nós não sabíamos e acabámos por "falhar" esta oportunidade, mas ainda tencionamos voltar.

Vão, porque vale mesmo a pena. No entanto, fica a dica: se puderem evitar ir de carro, façam-no. É preferível ir de comboio e depois só têm de andar um bocadinho. É uma volta bonita e por isso cansa menos do que andar às voltas à procura de lugar ou então estacionar a léguas do Parque :)

Tirar fotos em que ambos os meus filhos fiquem bem, é um dos desafios que deixo a mim própria para 2020. Ora um ri e o outro está de trombas, ou na foto a seguir o que está de trombas ri-se e o outro fica a olhar para ontem... Os dois a rir, bonitinhos, é que está quieto!!!
A concentração de um a escrever a carta ao Pai Natal e o entusiasmo do outro :D lolol

Nesta foto até foram colaborantes, hein? lolol




Um dos cenários da casa do gigante.





Esta sou eu, na pista de gelo. Parecia uma aleijadinha a andar, com medo de me espetar. Mas correu bem. Saí de lá inteira (nota importante: como o Francisco só tem cinco anos e precisa de um adulto para o acompanhar, eu não precisei de pagar bilhete)
À noite o cenário é este! Não há foto capaz de fazer justiça a quão bonito fica!





terça-feira, 10 de setembro de 2019

Mais uma nova etapa



O primeiro dia de um novo ano letivo é sempre um marco importante. Se calhar mais para nós, pais, do que para eles :)

Hoje, foi o primeiro dia de aulas do Francisco, naquele que muito possivelmente será o último ano de pré-escolar.

É tão bom vê-los crescer. É tão mágico e comovente. É a beleza da vida a acontecer <3

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Um laboratório muito divertido







Acho giro que os meus filhos gostem de personagens que também fizeram parte do meu imaginário infantil. De certo modo, tem o seu quê de reconfortante pensar que no meio de tantas diferenças geracionais, em termos de vivências, há coisas comuns :)

(pode ser tonto, mas acho engraçado!)

Há dias fomos à Kidzania conhecer o novo espaço Nintendo Labo e eles adoraram ver o Super Mário. Não descansaram enquanto não tiraram uma foto com ele (que ficou desfocada, mas não interessa).

Quanto ao novo espaço, é qualquer coisa de espetacular! Até eu fiquei rendida!

Neste laboratório, um e outro puderam construir um brinquedo de cartão - um híbrido entre um carro (sem rodas) e um monstro fofinho (pelo menos foi assim que eu vi a "coisa") - que depois era acolpado à consola Nintendo Switch e comandado à distância.

Como não ficar maravilhado?!

Já na sala ao lado mergulhámos numa série de cenários de realidade virtual!

Foi um dia em cheio e escusado será dizer que ainda não nos tínhamos ido embora e eles já me estavam a perguntar quando é que voltávamos :)




segunda-feira, 29 de abril de 2019

Dos fins-de-semana de sonho

Esta foto está tremida, desfocada e em termos técnicos uma nódoa, mas adoro-a! Aos meus olhos, reflete na perfeição este fim-de-semana ❤

Como já partilhei convosco, fomos passar o fim-de-semana ao Hotel Dolce Camporeal Lisboa.

Foi a primeira vez que fui sozinha com eles passar uma noite fora de casa e ia um pouco a medo, devo confessar. É que isto de estar sozinha com eles a maior parte do tempo já não é fácil num ambiente "controlado" e com rotinas definidas, então ir para um sítio diferente, sem os brinquedos deles, dava-me assim algumas ânsias. Tinha mesmo muita vontade de o fazer, mas acabava sempre por não arriscar. Por isso, e como lhes disse a caminho do hotel, este fim-de-semana ia ser uma espécie de teste para eles e para mim.

E passámos com nota muito positiva :)!

É óbvio que não foi tudo um mar de rosas, houve as birras do costume e as teimosias da praxe, mas nada de dramático. Pelo contrário! Foi mesmo muito bom!

É claro que o espaço ajudou (eles adoraram o hotel) e, resumindo, o balanço não poderia ser mais positivo. 

Para o Francisco talvez não tenha tido a mesma dimensão, mas para mim (e acredito que para o Gonçalo também) este fim-de-semana teve um simbolismo que foi muito além do momento de evasão. 

Tenho a certeza que ele vai ficar na memória dos três :)

Obrigada ao Dolce Camporeal por, mais uma vez, nos ter recebido tão bem! ❤



Apesar de termos ido jantar cedo, o Francisco "nadou" tanto e saltou tanto durante o dia, que estava com um sono gigante. Quase que nem jantou, tadinho. É que isto de nos divertirmos também cansa! :)


Os meus pequeninos estão super cómicos nesta foto, não estão? O Francisco também quis vestir o robe como o irmão e o resultado está à vista 😂
Fomos jantar a um dos restaurantes do hotel, o Grande Escolha. Optei por um tataki de atum com risoto de algas, do chef Rui Fernandes, que estava qualquer coisa dos deuses!! Para acompanhar, foi-me recomendado um vinho branco da região, o Vinhas do Lassos, do qual também fiquei fã!


Porque os olhos também comem!

Já não me lembro do nome da sobremesa. Lembro-me que tinha chocolate e café e que estava muuuito boa :)

As crianças são de gostos simples. Ir para a "piscina de touca", como foi apelidada por ambos, foi do que eles mais gostaram 😁


Não vos vou mentir. Naturalmente que não tive grande tempo para relaxar, mas pronto... 5 minutinhos na piscina exterior, 5 minutinhos na varanda e mais 10 minutinhos num banho de imersão... Soube-me pela vida!

terça-feira, 9 de abril de 2019

O meu menino já lê livros de pré-adolescente!


O Gonçalo adora ler e escrever e há que dizê-lo que neste campo sai tanto à mãe como ao pai.

Apesar da sua escrita ainda ter muito por limar (mas também ainda só está no terceito ano!),tento incentivá-lo ao máximo a fazer tanto uma coisa como outra.

Este fim-de-semana fui à Fnac e vi este livro. Na verdade já tinha olhado para ele várias vezes, por saber que é um sucesso entre os jovens, mas acabava sempre por não o comprar por achar que talvez fosse avançado demais. Tem muitas páginas, poucas ilustrações, ele gosta de ler mas é preguiçoso... Mas bem, desta vez resolvi pegar nele, abri-lo e ler algumas páginas. Percebi que a escrita era leve, a personagem principal escreve na primeira pessoa, não estivéssemos nós perante um diário, e tem muito humor (bem ao estilo do Gonçalo). E as ilustrações, apesar de serem em menor número face ao que ele está habituado, são bem giras.

Arrisquei e comprei-o. Dei-lho no domingo à noite e ontem ele levou-o para a escola para o ler durante o dia, já que está de férias. 

Deviam de ver o entusiasmo dele quando o fui buscar! 

Porque "tinha adorado o livro", porque "gostou tanto que já ia na página 170 e tal", e "ó mãe vá lá, podes comprar-me o volume 2?"... Estava doido!!

Eu fiquei super feliz! Primeiro, por ver a felicidade dele, mas também por ter percebido que ele reforçou dentro dele aquilo que já sabia: que ler era divertido e, muito provavelmente, uma das melhores coisas do mundo. Além disso, constatei que ele está a ficar um crescido. 

Ao ver o entusiasmo dele também sorri ao lembrar-me do que os meus pais me dizem tantas vezes.  Que me compravam livros e que eu ia para o quarto devorá-los e que muitas vezes só descansava quando os acabava de ler.

Os livros não são apenas um estímulo intelectual. São muito mais do que isso. Os livros são um escape. Ajudam-nos a sonhar, a viajar e podem ser verdadeiras terapias. Assim como a escrita.

Já lhe comprei o volume 2 e ele já dedicou uma prateleira do quarto só para esta coleção!

Que a aventura pela leitura de livros dos "crescidos" comece... e que nunca acabe!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

"Keep it simple"

Foto: Pinterest
Há fases na vida que são mais do que fases. São processos.

Ultimamente, ando particularmente interessada no minimalismo. Já conhecia o conceito há muito tempo, mas nunca me deu para saber mais sobre o assunto. Não me interessava! Mas há pouco tempo, não sei precisar quando (e estou ciente do quão tonto possa parecer o que vou dizer), parece que o conceito me chamou. Dei por mim a fazer pesquisas e a querer saber mais e mais sobre ele e, à medida que ia sabendo mais, mais interesse me suscitava.

Para contextualizar quem nunca ouviu falar do tema, e reduzindo a coisa numa única frase (o que até pode ser considerado uma heresia pelos minimalistas a sério), o minimalismo foca-se muito na ideia de que "less is more".

Mas atenção, eu não tenho qualquer intenção de me tornar minimalista. Nada disso! Simplesmente sinto que muitos dos princípios que estão na base do minimalismo, são exatamente o que eu preciso e quero para mim e para a minha vida. Por outro lado, e curiosamente, apercebi-me que muitas das coisas que regem o minimalismo, eu já fazia (o que também me suscitou ainda mais interesse).

Como já disse, senti que de certo modo foi como se tivesse sido o conceito a chamar por mim, antes mesmo de eu ter ido à procura de mais informações. De tal maneira que até eu achei estranho este meu interesse súbito (se calhar até é mais correto dizer "necessidade") em saber mais sobre o tema.

O que mais me cativa no minimalismo é o facto de defender a ideia de que nos devemos desprender e dispensar o supérfluo, o que nos faz mal ou que não nos faz feliz. E este princípio é transversal aos móveis que temos em casa, à roupa que temos nos armários e à nossa vida em geral.

Nunca fui de acumular objetos nem de deixar "amontoar" roupa que não uso, por exemplo, mas, nos últimos dias, estou a fazer uma revolução lá em casa! Estou a livrar-me de coisas que considero que estão a mais, ou porque não uso, ou porque não gosto particularmente delas...

O minimalismo defende que só devemos deixar ficar o que realmente gostamos, o que nos faz efetivamente falta e o que nos faz sentir bem. E isto aplica-se a tudo na vida!

Sei que esta "arrumação" vai demorar, mas, se querem que vos diga, não tenho pressa.

Esta "arrumação" é mais que uma arrumação. É um processo e todos os processos requerem o seu tempo. Além disso, acreditem ou não, já me está a trazer uma serenidade que me fazia falta.

E termino este post com uma frase de Don DeLillo:

"The more I threw away, the more I found."


terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Ho Ho Ho


E achavam mesmo que eu ia fugir às fotos da praxe? :)

Nem pensar!!!

E agora, depois da árvore já montada, é "só" responder, todos os dias, à pergunta "Quando é que é Natal?" :P




quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Tenho dois artistas lá em casa

Se há coisa que o Gonçalo e o Francisco gostam, é de pintar com aguarelas. Sobretudo o Gonçalo. E nos dias de chuva, é um dos nossos programas preferidos!

Digam lá se os rapazes não têm jeito?






terça-feira, 13 de novembro de 2018

Vamos brincar!


O ritmo louco do dia-a-dia, o espírito competitivo imposto às crianças quase desde que nascem, as tecnologias, a segurança (ou falta dela)... são cada vez mais os motivos que fazem com que o conceito de brincar seja cada vez menos valorizado e "praticado". Isto apesar de estar mais que provado que brincar estimula as capacidades cognitivas e emocionais das crianças e reforça a sua capacidade de socialização, mais até do que muitos daqueles exercícios chatos que elas são obrigadas a fazer nas escolas, sabe-se lá bem porquê.

Hoje, chegou-se ao cúmulo das nossas crianças não terem tempo para brincar!

Foi exatamente com o objetivo de enaltecer este conceito e relembrar a sua importância, que o Ikea reuniu, no sábado passado, pais e crianças para um evento em que brincar era a palavra de ordem!

"Vamos brincar para a mudança" era o mote da iniciativa, mote este que dá nome a uma campanha da marca que pretende mostrar ao mundo que "brincar é uma necessidade básica e não um luxo".  (podem conhecer melhor esta campanha, que decorre até ao dia 24 de dezembro, aqui)

O Gonçalo e o Francisco fizeram-lhes a vontade com gosto e passaram uma manhã bem divertida. Eles e eu, porque eu também brinquei! E como a campanha relembra (e é preocupante chegarmos ao ponto em que nos precisam de relembrar isto - e contra mim falo), brincar é também uma forma de fortalecermos o elo que temos com os nossos filhos. Já para não falar nas memórias boas que podem ser construídas a brincar :)

Posto isto: Vamos brincar!








Arquivo do blogue

Seguidores