segunda-feira, 22 de julho de 2019

Akuna quê?

Este fim-de-semana fomos ver o "Rei Leão" (nós e mais de metade dos portugueses, pelo que já percebi :) ).

Eles já tinham visto o filme e, portamto, a história e as músicas já lhes eram familiares.

Na parte do filme em que os personagens cantam a mítica canção "Akunamatata", não foram raras as pessoas que estavam no cinema que começaram a cantarolar também. E o Francisco, que estava ao meu colo, também se juntou ao coro. E eu fartei-me de rir quando percebi que ele cantava, todo feliz, com uma versão muito própria (e original). Era mais ou menos assim: "AKUNABATATA, é tão fácil de dizer... AKUNABATATAAAA   AKUNABATATAAA!"🦁🥔

😂😂😂


Ora a minha vida, hein?


É cada vez mais habitual ir dar com os bolsos do Francisco cheios de paus e pedras.

Sim. Paus e pedras! E depois é logo às mãos cheias.

Há dias tinha estas pedras todas no bolso.

Eu bem lhe disse para ele brincar à vontade com estas coisas, mas que escusava de as trazer no bolso. Ao que ele me respondeu que as trazia porque queria brincar com elas em casa.

Coitado!!! Não lhe devem chegar as carradas de brinquedos que tem no quarto!!!

Enfim... se continua assim, começo a pensar seriamente em oferecer-lhe, no Natal, uma caixinha cheia de paus e pedras. Sempre sai mais barato! :P

Será que é desta?

Ainda me lembro de quando julho e agosto eram sinónimo de silly season. Agora, parece que anda tudo trocado. 

A sensação que tenho é que julho está a ser o mais intenso em termos de trabalho do que qualquer outro mês... e é por esse motivo que não tenho vindo aqui.

À noite dá-me a preguiça e quando tenho algum tempo para não fazer nada, o que também não acontece todos os dias, brindo-me com o prazer de me esticar no sofá a ver uma série ou então mergulho num dos livros que ando a ler.

Parece que agora as coisas estão a acalmar e eu estou quase a ir de férias (ALELUIA!!!), por isso, a ver se venho aqui mais vezes :) Não me abandonem! :)

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Tão novo e tão sábio

Ontem, depois de os ter ido buscar, fui com eles às compras. O Gonçalo vai dormir hoje na escola (estava doido de excitação!) e fui comprar umas bolachinhas para ele e para os amigos. Para petiscarem à noite. Contudo, também queria comprar qualquer coisa para os monitores. Estava a pensar nuns aperitivos, mas estava na dúvida e partilhei-a com o Gonçalo:

"Também queria comprar alguma coisa para os monitores, mas não sei o quê!" - disse-lhe

"Então" - diz-me ele prontamente - "Podes comprar-lhes vinho!"


Durante alguns segundos não soube o que dizer. É que, convenhamos, o meu filho revelou ser muito sábio com esta resposta - é que aturar tantas crianças juntas seria mais fácil com a ajuda de um vinho - mas bem... não podia dizer-lhe isso, nem tão pouco comprar o néctar dos deuses.

Enfim... Sei que não é a mesma coisa, mas fiquei-me pelas bolachinhas salgadas!

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Não me devo ter feito entender!

Estava eu entre mãos com o jantar e a roupa, quando fui ver o que o Francisco estava a fazer. Fui dar com ele no quarto, com os brinquedos todos espalhados no chão. Até me ia dando uma coisinha! Respirei fundo e disse-lhe:

"Olha Francisco, acho ótimo que brinques com os teus brinquedos, mas quem vai arrumar isto és tu."

"Poquê, mamã?!"

"Ora, porque foste tu que desarrumaste! Além disso, tu já viste o que ainda tenho que fazer hoje? Estou a fazer o jantar, depois tenho de arrumar a cozinha e tenho aquela roupa na sala para dobrar..."

"Então... tens tanta coisa para "fazêi", que podes "arrumái" também isto."

Francisco, 4 anos e uma grande lata!

(E não, não arrumei. E hoje quando saí ficou tudo espalhado. E só eu sei, que sou obcecada com a arrumação, como isso me custou!!)

domingo, 23 de junho de 2019

O retrato do meu fim-de-semana

Se na grande maioria das vezes sinto que faço isto de ser (praticamente) mãe solteira com uma perna às costas, há dias, como neste fim-de-semana, que sinto que nem com 10 pernas sou capaz de o fazer com ligeireza.

Não posso dizer que eles estivessem particularmente agitados. Para ser justa, acho que o problema era mesmo meu, ainda que tenha acontecido um episódio em que eles se superaram.

Apesar de não serem propriamente sossegadinhos, nenhum dos meus filhos costuma gritar feito louco. Mas eis que este fim-de-semana resolveram experimentar.

Como é habitual, fiz as compras da semana online e vieram entregá-las cá a casa.

Quando o senhor me aparece à porta com os sacos, não sei o que é que lhes deu. Começaram os dois a gritar feitos histéricos, a correr de um lado para o outro e a meterem-se com o senhor como se fossem dois parvos.

Eu devo ter feito um ar tão cansado e desesperado, que o senhor olhou para mim e disse-me com empatia:

"Hoje, ao final do dia, a senhora deve estar de rastos!"

Na minha cabeça respondi-lhe "de rastos eu já estou" mas, apesar de não o ter dito em voz alta, a minha cara deve tê-lo feito e juro que acho que mais um bocadinho e o senhor dava-me um abraço de compaixão. Eu vi pena nos olhos dele!!! A sério que vi.

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Anda uma mãe a criar um filho para isto!

Estava na casa de banho quando o Francisco entrou.

"O que estás a fazer, mamã?" - perguntou-me.

"Estou a pôr creme na cara." - respondi.

"Para quê?"

"Para ficar mais bonita."

Entretanto, lá acabei de pôr o creme, arrumei-o, mas percebi que ele continuava a olhar para mim fixamente, até que disse.

"Continua!"


(não se aguenta!!! 🤦‍♀️)


terça-feira, 18 de junho de 2019

Existindo ou não destino, só se vive uma vez!


A vida é engraçada e chega a ser irónica. O tempo vai passando e há pessoas que vêm, outras que vão, outras que se mantêm enraizadas em nós, outras que reaparecem... e esse mesmo tempo tem-me vindo a provar que em todas as situações há um motivo para ser exatamente assim. Fica quem tem de ficar, vai quem não faz falta e reaparece quem faz sentido naquele momento. Como se todos os encontros e desencontros tivessem uma razão de ser.

Mas, apesar destas contas parecerem tão matemáticas, não vos posso dizer que acredite no destino. Acredito, sim, que somos guiados, mas depois são as nossas escolhas, ou seja, nós, que definimos o nosso destino.

Há dias dei por mim a pensar nisso. "E se as minhas escolhas tivessem sido outras?"

Este fim-de-semana um amigo de há muitos anos, com quem já não estava há algum tempo mas com quem sempre mantive contacto, confessou-me, para minha total surpresa, que quando nos conhecemos (quase no tempo da monarquia!!!) ele tinha tido uma paixão assolapada por mim. Mostrei-lhe a minha admiração e ele perguntou-me se teria mudado alguma coisa se ele me tivesse dito.

Não soube responder. Tanto poderia mudar tudo, como poderia não mudar nada. Mas a pergunta deixou-me a pensar. Muito.

Assumindo que o destino não existe, e mesmo sem saber o que vem lá, termino como comecei: a vida é engraçada e irónica. E a grande lição é que há que aproveitá-la bem porque, sendo cliché ou não, é mesmo verdade quando se diz que só se vive uma vez!

Namaste <3 🙏

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Quando o tempo voa com doçura


Se pensavam que eu tinha desistido do blog, estavam enganados :) Ando só mais desaparecida, só isso! (o que, volto a dizer, não é por falta de assunto. Aliás, nunca como agora tive tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo na minha vida... mas bem, tendo em conta este blog em concreto, e aquillo que é o seu objetivo, umas coisas são partilháveis, mas a maior parte nem por isso :))

Mas continuando...

Este fim-de-semana dei-me conta que o Gonçalo está prestes a acabar a escola... o que significa que está a um pé de entrar no 4º ano!!! 4º ano!!!

O meu bebé, que ainda ontem me cabia todo no colo, está grande que se farta e, na semana passada, chateou-me a cabeça porque queria um telemóvel, com o argumento de que "todos os amigos tinham um menos ele". E eu, que odiava quando os meus meus pais me davam a resposta "não sou mãe/ pai dos teus amigos, por isso não quero saber", dei por mim a dizer exatamente a mesma coisa! lolol

O meu menino crescido, que ainda ontem me cabia todo no colo, não é por estar mais crescido que deixou de me dar abraços ternos, que deixou de me dizer com frequência que gosta muito de mim e que deixou de se derreter quando eu lhe faço mimos, como se fossem a melhor coisa do mundo para ele <3

E é esta a beleza da vida. É o tempo passar assim, de forma doce!

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Uma sugestão para este fim-de-semana







Há tempos fomos ver a peça de teatro "O Sótão", no Palácio Flor da Murta, em Oeiras (um sítio bem bonito, por sinal).

O Gonçalo e o Francisco adoram tudo o que sejam espetáculos, por isso, quando surge uma oportunidade  destas, nem penso duas vezes. Já sei que vai ser tempo bem passado!

E não me enganei.

A peça centra-se em seis crianças, com gostos muito diferentes, que um dia encontram vários objetos num sótão e, através deles, embarcam numa aventura onde reina a imaginação, a criatividade e a amizade.

Dança, música, marionetas, sombras chinesas... tudo isto fez parte do espetáculo!

Com texto de Liberto Luso, "O Sótão" está em cena até ao dia 30 de junho, aos sábados e domingos, às 16h00.

Os meus dois mini-críticos deram-lhe muito boa nota :)

O Sótão
M/ 6 anos
Local: Palácio Flor da Murta
Rua da Flor da Murta, Paço D’Arcos
Preçário: 8€
Informações e reservas: 
cenaseque@gmail.com


Arquivo do blogue

Seguidores