Mostrar mensagens com a etiqueta Graças para recordar. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Graças para recordar. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 19 de junho de 2018

Cada um com a sua pancada

Diz-se que as meninas são vaidosas e isto e aquilo, mas acreditem que não são só elas.

Todas as manhãs, já sei que vou perder pelo menos 5 minutos para o Francisco escolher os sapatos que quer levar. E acho que só não acontece o mesmo com a roupa porque o pólo é da escola e as calças ou calções têm que ser azuis, caso contrário acho que tinha que acordar meia hora mais cedo só para o menino escolher o modelito :P

Ainda assim, já percebi que o que ele gosta mesmo são sapatos.

Enfim... cada um com a sua mania!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

No Dia da Criança, esqueçam as prendas. Vamos dar-lhes tempo de qualidade

A qualidade das fotos é para lá de má, mas mesmo assim o que interessa passar está lá <3
O nosso Dia da Criança começou a ser comemorado ontem, aproveitando o facto de ser feriado). 

Perguntei-lhes o que é que eles queriam: que lhes desse um brinquedo, sendo que eles já têm centenas, ou se preferiam que, com esse dinheiro, fôssemos passear, almoçar fora e passar um dia diferente. 

Eles nem hesitaram: ganhou o "tempo de qualidade" (o tal, que dizem que as crianças (e os pais) sentem cada vez mais falta! O tal, que não devia existir como "prenda", mas que numa sociedade em que andamos sempre a correr e em que a parentalidade é tão secundarizada/ esquecida no mundo laboral, quase que o passou a ser).

Então lá fomos ontem ao parque, jogar à bola, à apanhada... Brincar.

A felicidade estava estampada no rosto deles e era visível a léguas e, para uma mãe, isto é tudo o que vale e interessa.

Mais logo também nos vamos divertir mas, sobre isso, conto-vos depois :)

Feliz Dia da Criança para os vossos meninos :*

terça-feira, 29 de maio de 2018

Arte com amor


O Gonçalo adora pintar com aguarelas (coisa que já partilhei aqui no blog). Ele diz que um dia vai expôr as pinturas dele numa galeria e vendê-las por muito dinheiro :)

Há tempos a minha mãe pediu-lhe uma das suas "obras" e ele lá lhe deu (até fiquei admirada como é que não lhe cobrou por ela). Este fim-de-semana, quando fomos a casa dos meus pais, lá estava ela, em destaque, pendurada na parede da sala!

Adorei e ele também. E é, sem sombra de dúvida, uma ideia bem gira :)

segunda-feira, 21 de maio de 2018

São mesmo as pequenas coisas que mais contam e que mais ficam na memória e no coração


"Isto é um coração gigante, que diz que a forma que eu gosto de ti é mais forte do que a força do Big Bang."

A mensagem é do Gonçalo e é dirigida a mim.

A letra pode não ser bonita e a frase pode não estar 100% correta gramaticalmente, mas, perante uma mensagem destas, só interessa mesmo o conteúdo e a intensidade com que ele chegou ao meu coração. 

Para perceberem um pouco melhor, posso dizer-vos que esta frase tem um significado ainda maior do que aquele que possa parecer evidente.

Tinha o Gonçalo meses, dias talvez, quando lhe disse pela primeira vez que o amor que eu sentia por ele era mais forte do que a força do "Big Bang". 

Depois de tanto repetir esta frase, lembro-me dele, talvez com os seus 4 anos, talvez menos (não sei precisar) me ter perguntado o que é que ela significava e de eu lhe ter explicado.

Ainda hoje, volta que não volta, lhe digo esta frase, mas com o tempo fiquei com a sensação que ele não ligava. Que me ouvia, mas lhe passava ao lado o seu real significado.

Este "recado" veio mostrar-me que estava enganada. Ele não só presta atenção, como tem bem consciência do seu significado. Mais. Veio mostrar-me, mais uma vez, que são de facto as pequenas coisas, mas cheias de simbolismo e signicado emocional, que prevalecem na memória e no coração. 

Quem sabe se um dia ele não dirá aos filhos dele: "como diria a tua avó, o meu amor por vocês é mais forte do que a força do Big Bang!"

<3

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Vira o disco...

O Francisco ontem lembrou-se de me pedir prendas para o aniversário dele (um pormenor: ele faz anos no final de novembro).

"Mamã, para os meus anos quéio um carro, um boneco da Star Wars, um jogo..."

"Ó filho, isso é muita coisa. Não tenho dinheiro para isso tudo. Fazes assim, pedes uma coisa à mãe,  outra aos avós, outra ao pai..." - respondi-lhe.

"Não. Quéio que sejas tu. Mas então pode ser um jogo, um carro e um boeco da Star Wars."

segunda-feira, 7 de maio de 2018

A carta (de amor) que me fez chorar


"Isto é um texto único e especial, para uma pessoa única e espcial: a minha mãe. A melhor mãe do mundo. Dá-me beijos e abraços, tem cabelo louro, pele branca, olhos verdes e ela é tudo para mim.
As mães são pessoas especiais que só querem saber da nossa saúde.
A minha mãe tem um dom. Ser super especial."


O Gonçalo escreveu-me este texto para o Dia da Mãe e, eu sei que sou suspeita, mas é a coisa mais deliciosa do mundo.

Fiquei super comovida quando o li e naquele momento acreditei que por mais dúvidas que tenha em relação ao meu desempenho enquanto mãe, alguma coisa bem feita devo estar a fazer para merecer estas palavras :)

<3

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Promessas!

E pergunta-me o Gonçalo, todo cheio de garra e de intenção:

"Mãe, no fim-de-semana posso ser eu e o Francisco a limpar a casa?"

(Agora é torcer para que a vontade se mantenha até ele ter idade para ajudar sem atrapalhar. Ainda assim, e para ele ficar contente, disse-lhe que sim :))

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Liberdade

Há várias formas de comemorar a liberdade e honrar os capitães de abril. O facto de podermos escolher o rumo da nossa vida, mesmo sabendo que as consequências podem não ser fáceis, é uma dessas formas.

O dia da liberdade foi passado com quem mais amo e com quem mais me ama. Com quem nunca desiste de mim, com todas as minhas qualidades e defeitos. Com quem me vê com olhos de ver e para quem a minha companhia e presença têm um real significado e fazem toda a diferença.

25 de abril sempre!
A ideia era tirarmos uma foto fofa e gira, mas não deu. Nunca dá. Ou um faz caretas, ou o outro vira a cara, ou não lhe apetece... isto foi o melhor que se arranjou :)






Fui apanhada a jogar à bola com o meu filho. E o que eu adoro isto! (not!). Mas ser mãe de rapaz tem destas coisas. Não há cá chá com bonecas, fazer penteados e essas coisas engraçadas! :P
Como o Francisco andava há tempos a pedir para passear comigo de comboio, fiz-lhe a vontade. Fomos os três de comboio e eles adoraram o percurso.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Se este não existisse...

O Gonçalo é completamente aluado. Do género de eu o mandar ir lavar os dentes, ele ir (à quinquagésima vez, atenção!) e depois de entrar na casa de banho é capaz de se distrair com qualquer coisa que vê na bancada do lavatório e esquece-se completamente do que ia fazer.

Ontem ao jantar estava a contar-me como tinha corrido a escola. A dada altura conta-me um episódio que me fez rir imenso. Creio que contagiados por mim, ele e o irmão começaram a rir-se também, com gosto e que nem uns perdidos, e quando já estávamos todos mais calmos ele perguntou-me:

"Mãe, o que é que te contei agora mesmo e que nos fez rir tanto. Já não me lembro!"

terça-feira, 17 de abril de 2018

O efeito do beijo

O Gonçalo anda intrigado com os efeitos especiais. Perguntou-me o que eram, como se faziam...

Lá tentei responder a tudo o que ele me foi perguntando, da forma mais simples que consegui. Obviamente, falei de filmes e dei alguns exemplos.

Fiquei na dúvida se tinha sido bem sucedida nas minhas explicações quando ele me perguntou:

"E os beijos, mãe? Os beijos na boca que os senhores dão nos filmes também são efeitos especiais?!"

(so sweet! :) )

domingo, 15 de abril de 2018

Ele não deixa de ter razão

Nos últimos dias constatei que o Francisco dá uma interpretação muito própria à frase "Tenho saudades tuas."

Para ele, a frase não pressupõe a ausência da pessoa, porque é sinónimo de "gosto muito de ti."

Apercebi-me disso porque esta semana, e talvez porque na semana anterior esteve quase 5 dias sem me ver, quase todos os dias, do nada, me abraçava enquanto me dizia, com aquela voz doce de bebé: "tenho muitas saudades tuas."

Escusado será dizer que me derretia toda!

De certo modo, ele não deixa de ter razão. Só sente saudade, só se sente a falta de alguém, quando se gosta muito, certo? ;)

Ou seja, este meu filho é um filósofo :)

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Fofura infinita ou orgulho de mãe na escala máxima

Um dos trabalhos de casa do Gonçalo, para as férias da Páscoa, era escrever um texto sobre o melhor amigo dele. E ele escreveu este! O texto mais querido, amoroso e emotivo que uma mãe podia ler!

Quando o li, fui inundada por um sentimento de felicidade suprema. Por um orgulho imenso. E por um desejo profundo de que este sentimento dele para com o irmão, e vice-versa, se mantenha intacto ao longo da vida deles.

Um dia o Francisco vai ler esta carta e, nesse dia, tenho a certeza que ele vai confirmar o que já sabe: que tem muita sorte em ter o melhor irmão do mundo <3


quarta-feira, 4 de abril de 2018

Até faz sentido!

Há dias tocaram à porta de minha casa mas, quando espreitei pelo óculo da porta, apercebi-me que não conhecia as pessoas e, por isso, não abri a porta.

Eram dois rapazes que queriam convidar a minha família a ir a uma festa da Páscoa, numa Igreja que não consegui identificar.

Estivémos ali um minuto a conversar, se tanto, eu do lado de dentro de casa e eles do lado de fora.

Quando regressei para ao pé do Gonçalo ele perguntou-me intrigado:

"Porque é que não abriste a porta mãe?"

"Que pergunta Gonçalo! Então não sabes que não se deve abrir a porta a estranhos? É perigoso!" - disse-lhe.

"Pois... Mas se nunca abrires a porta a estranhos, nunca vais conhecer amigos novos."

(Fiquei na dúvida se isto seria uma mensagem do universo :) )

terça-feira, 3 de abril de 2018

Diz que é estilo :)

O Francisco liga imenso à roupa que veste. Então com sapatos é demais. Faz questão de ser ele a escolher o que calça.
Neste dia estava virado para os acessórios e insistiu em usar óculos de sol :P

quarta-feira, 28 de março de 2018

Que ternura!!!

Esta manhã, o Francisco queria levar um brinquedo para a escola. Costumo deixar, mas aquele não achei adequado e, por isso, disse-lhe que não.

O Gonçalo, que está sempre de olho no que o irmão tem (e vice-versa) aproveitou a deixa para dizer que, sendo assim, queria ser ele levar o brinquedo e pediu-o ao irmão. Escusado será dizer que o mais pequeno lhe disse que não, mas o Gonçalo, como pica-miolos que é, não parava de insistir.

O Francisco começou a ficar chateado e pôs-se à procura de um sítio para o esconder, mas começou a choramingar por não encontrar nenhum que considerasse suficientemente bom.

"Se quiseres eu ajudo-te e digo-te onde o podes esconder. Queres?" - disse-lhe o Gonçalo, com um sorriso maroto.

E o Francisco, na pureza da sua ingenuidade, respondeu-lhe com a voz mais doce do mundo:

"Sim. Quéio."

<3

Tenho um espertinho lá em casa

Ontem, quando fui buscar o Francisco à escola, o Gonçalo quis apostar comigo que o mano não lhe ia dar um beijinho quando o visse. Eu apostei que sim, que ia.

Chegámos, o Francisco veio a correr para nós todo feliz, como é habitual, mas beijinho ao mano é que nada.

"Vês mãe, o mano não me deu um beijinho. Estás a dever-me um euro!"

"Mas eu não apostei dinheiro!" - protestei.

"Mas apostei eu... na minha cabeça!"

segunda-feira, 26 de março de 2018

Grande lata!

Quando fui levar o Gonçalo à escola esta manhã, e como só consegui lugar de estacionamento um bocado longe, o Francisco quis vir ao meu colo. Digamos que ele já não está propriamente leve e, a dada altura, já me estava a custar levá-lo.

"Ó filho, a mãe tem que te pôr no chão. Já me dói as costas. É que tu já estás muito crescido e pesado.", disse-lhe

Ele, que também não se devia estar a sentir 100% confortável, respondeu-me:

"Sim. Eu também já estou cansado!"

sexta-feira, 23 de março de 2018

Começo a perceber porque é que o miúdo tem noites agitadas

Estava no carro com o Francisco. Íamos a conversar, quando ele me começa a falar muito num António.

Ele nunca me tinha falado num António e, por isso, perguntei-lhe quem era.

"É um amigo do Rodigo." - respondeu-me. (do Rodrigo ouço falar muitas vezes).

"Ah, está bem. Então mas o que é que tem o António?", perguntei, para tentar saber mais.

"Desapaceu."

"Como assim, desapareceu?!"

"Foi um dagão que o comeu!"

terça-feira, 20 de março de 2018

A Primavera personificada

Não sei bem como é que a conversa surgiu. Só sei que o Francisco, com os seus 3 anos e os seus quilos de fofura, começou a falar da Primavera (acredito que o tema tenha sido abordado na escola).

Sou rapariga para dizer que ele não deve ter percebido bem a coisa. Isto porque, depois de ter falado nas flores, nas árvores e nos passarinhos, disse com a sua vozinha doce:

"... E depois a "Pimavéa" vai lá à escola."

<3 <3 <3

segunda-feira, 12 de março de 2018

Naturalmente!

Íamos a sair de casa, quando o Gonçalo olha para o irmão com um ar embevecido e lhe diz:

"És mesmo fofo, Francisco."

O irmão, que estava super concentrado a ver se não deixava cair o brinquedo que levava na mão, responde-lhe com a maior das naturalidades, sem se desconcentrar:

"Sim, sou muito fofo!"

Arquivo do blogue

Seguidores